BNDES – A DIFICULDADE DOS PEQUENOS.

Algumas edições passadas tive a honra de escrever na Realidade Tributaria, sobre a dificuldades da micro e pequena empresa em conseguir recursos junto ao BNDES o Banco Nacional de Desenvolvimento Social.

Na ocasião se não me falha a memória, escrevi que uma das maiores dificuldades era reunir as condições burocráticas e atender as exigências para se conseguir o recurso.

Hoje, vou voltar ao tema, com o objetivo de aprofundar um pouco mais a discussão, já que principalmente para as empresas localizadas no Estado de São Paulo tem mais uma opção, a Nossa Caixa Desenvolvimento, o banco de fomento criado pelo Governo do Estado a partir da venda da Nossa Caixa Nosso Banco para o Banco do Brasil por 5 bilhões de reais. Desse valor 1 bilhão foi destinado através de dotação orçamentária para compor o capital do novo banco.

Esse recurso está à disposição das empresas situadas no Estado de São Paulo, desde que atendam aos critérios e as linhas de crédito disponível.

Assim a capa desta edição da revista faz todo o sentido!

Os recursos financeiros estão ao alcance das mãos, porém é preciso se organizar, mostrar competência e capacidade de pagamento para ter acesso a esses recursos com taxas de juros “normais”.

Os micros, pequenos e médios empresários, precisam tomar consciência que o paternalismo, pelo menos no campo do crédito acabou, hoje temos um sistema financeiro que é exemplo para muitos paises do mundo. Passamos mais rapidamente e com menos sobressaltos pela crise, porque temos um sistema financeiro forte, seguro e acima de tudo profissional.

Algumas pessoas chegam a dizer que a micro, pequena e média empresa não tem vez no BNDES. No primeiro trimestre deste ano as operações do BNDES concedidas a micro e pequena empresa chegaram a 111.483 é isso mesmo (cento e onze mil quatrocentos e oitenta e três) operações representando em quantidade 91% do total de operações realizadas pelo banco.

Agora, você pode estar se perguntando, o que eles fizeram para conseguir?

A resposta certamente está dentro de sua própria empresa, mas vamos fazer um exercício para facilitar a reflexão:

Se coloque por alguns instantes na posição do banqueiro e analise sua empresa. Você sendo banqueiro lhe emprestaria o recurso que precisa nas condições que você apresenta?

È bem verdade que tanto o BNDES quanto a Nossa Caixa Desenvolvimento, precisam aplicar os recursos (conceder empréstimos) para cumprir seu papel no desenvolvimento econômico do País, mas de forma correta, querem e precisam ter confiança e garantias de que terão o dinheiro de volta no prazo combinado.
O banco de fomento como é o caso do BNDES e da Nossa Caixa Desenvolvimento tem também uma forma diferente de agir, ao contrário dos bancos comerciais que atuam quase que diretamente no caixa das empresas, como é comum dizer, atuam “apagando incêndios”, esses bancos atuam de forma mais planejada.

A conveniência custa mais caro!

Os bancos comerciais podem lhe atender de forma mais rápida, na hora em que você precisa, porém os juros (o custo) serão maiores.

Com um pouco de organização, você poderá prever com antecedência suas necessidades de recursos para investimento ou capital de giro e assim se preparar para ter acesso ao recursos de menor custo, junto aos bancos de fomento.

O mercado financeiro liderado pelo Banco Central do Brasil está extremante organizado, bastando um simples “click” para que seja levantado o endividamento de qualquer pessoa seja física ou jurídica através do SISBACEN.

Os bancos de fomento, não querem e não podem até por questões legais atuar como “tabuas de salvação” ele devem ser instrumento de desenvolvimento. Assim não adianta a empresa recorrer a soluções imediatas, se endividar em operações de curto prazo como cheque especial, conta garantida e outras e buscar recursos nos bancos de fomento com o objetivo de saldar as dívidas com taxas mais altas. O empresário tem que planejar e recorrer ao Banco de fomento antes que aconteça o descontrole de caixa.

Por isso planeje, organize-se, veja quanto precisa, de que forma e quanto pode pagar, e mãos a obra. Os recursos estão disponíveis.